Acesse o site do SINTECT/SC:

quarta-feira, 30 de março de 2011

Petróleo, Guerra e Revolução

As big oil exigiram do Conselho de Segurança da ONU a intervenção na líbia

Por Dalton Santos e Américo Gomes
Por trás das desculpas humanitárias do imperialismo para sua intervenção militar aérea na Líbia estão os interesses das Big Oil (grandes multinacionais do petróleo) e seus lucros e dos governos patrocinadores da intervenção.

O verdadeiro objetivo da intervenção militar visa estabilizar a situação na Líbia, que esta totalmente fora de controle, com seu principal agente, Muamar Kadafi, não conseguindo controlar os rebeldes.
Um segundo objetivo é tentar impedir que a Revolução Árabe gere novas ondas na região do Mediterrâneo, com mais levantes na Tunísia, Egito e Argélia; se fortaleça na Jordânia e Síria; e seja vitoriosa no Oriente Médio, no Iêmen e no Bahrein; e chegue a Arábia Saudita. Principal produtor e fornecedor de petróleo da região.


Somos todas e sempre mulheres em luta; nas ruas e nas trincheiras neste mês de março!

Mais uma vez, neste ano de 2011, nós do Movimento Mulheres em Luta e da CSP Conlutas estivemos nas ruas de todo país fazendo valer nosso tradicional dia de luta das mulheres trabalhadoras.

Enquanto aqui no Brasil lutamos por aumento salarial rumo ao piso do DIEESE, igualdade salarial, creches, licença maternidade, pelo fim da violência e legalização do aborto, nas ruas do oriente médio estavam as mulheres árabes impulsionando os processos revolucionários em curso, fazendo reconhecer o papel central delas nas vitórias contra ditadores.

Participamos de atos em diversos estados entre os dias 3 e 12 de março, em unidade de ação com amplos setores do movimento feminista.

Em São Paulo, por exemplo, reunimos em torno de 1.500 pessoas com uma coluna independente da CSP-CONLUTAS e Movimento Mulheres em Luta, junto a outros setores do movimento de esquerda, com quase 600 pessoas.

Em várias regiões e sindicatos tivemos de debates, palestras e panfletagens. Na APEOESP/SP, fizemos debates nas reuniões de representantes e participamos de reuniões nas escolas, onde passamos o filme "Acorda Raimundo".

O Sindicato dos Metroviários e Sindsef-SP fizeram assembléias de base nos locais de trabalho para tratar da relação machismo e exploração. Houve paralisação pela reintegração de Cipeiras em Cariri (CE) e as atividades em relação à moradia em Belo Horizonte-MG. Tivemos em Belém a inauguração da secretaria de mulheres do sindicato da construção civil e diversas palestras nas entidades. As calouradas do movimento estudantil também expressaram a luta contra o machismo.

Os atos unitários em todo o país foram uma grande vitória na luta contra o machismo e a exploração. Estamos no primeiro ano de governo da primeira mulher presidenta e é preciso seguir fortalecendo nossas exigências ao governo que atenda as reivindicações das mulheres trabalhadoras. Precisamos também seguir denunciando todos os ataques que as mulheres, junto ao restante dos trabalhadores, já estão sofrendo com as primeiras medidas desse governo, como a alta inflação, o aumento dos salários dos parlamentares e da presidenta e o corte orçamentário em áreas essenciais.

Infelizmente setores do movimento feminista, como a Marcha Mundial de Mulheres, A CUT e a CTB, seguem com uma política de apoio á esse governo, cumprindo assim um papel regressivo na luta das mulheres.

Nossos atos e atividades foram os inícios de uma jornada de mobilizações para enfrentar o machismo e a exploração combatendo os que hoje mais se beneficiam disso, os governos e os patrões.

Enquanto isso ocorria muita repressão às mulheres no Egito.
Hoje, um dos maiores problemas das mulheres egípcias são a violência sexual e a mutilação genital. Além do o abuso sexual que é tema tabu na sociedade, que encobre especialmente os casos de estupro marital e abuso infantil dentro da família. 

Mulheres pela vitória da Líbia
Um protesto massivo de dezenas de milhares de mulheres em Benghazzi marcou o Dia na capital rebelde Líbia. Elas gritaram palavras de ordem de apoio à luta contra o ditador, como “Nenhuma negociação com Kadafi”. Novas organizações femininas vêm surgindo, como as Filhas de Omar Mukhtar, em homenagem ao mártir da resistência Líbia à colonização italiana. Também há relatos de comitês de mulheres atuando febrilmente nas atividades da retaguarda das tropas, cuidando da logística e da alimentação do front.

Enquanto isso na Tunísia: “Não há democracia sem igualdade!”, dizia slogan da Associação Tunisiana de Mulheres Democráticas durante os atos do dia 8 de Março. Uma expressiva luta vem sendo travada com o novo governo para exigir as reivindicações femininas. As várias organizações formadas antes e durante a luta que derrubou o ditador Ben Ali, como a Associação de Mulheres Tunisianas para Pesquisa e Desenvolvimento e o Coletivo Maghreb pela Igualdade, preparam agora um documento com todas suas reivindicações. Entre elas, a expansão da lei de cotas eleitorais conquistada pelas mulheres no regime anterior, e uma discussão ampla sobre leis que garantam a igualdade.

Janaína Rodrigues
- Movimento Mulheres em Luta e Setorial de Mulheres da CSP-CONLUTAS

França: greve e protestos dos Correios e setor judicial

Paris, 29 mar (Prensa Latina) Greves e manifestações dos trabalhadores dos Correios (La Poste) e do setor judicial agitarão hoje numerosas ruas desta capital com a reivindicação de melhores condições de trabalho e maiores orçamentos.

Os empregados da La Poste exigem contratações, aumento de salários e denunciam a eliminação de quase 11.500 postos de trabalho no ano passado apesar de obter-se um benefício com a alta de 3,5 por cento.

Produtividade e redução dos custos converteram-se nas principais palavras de uma política econômica destruidora para o emprego e as condições de trabalho, assinalaram em um comunicado os sindicatos convocadores da greve iniciada esta manhã.

Numerosas passeatas estão previstas para esta terça-feira em várias cidades do país. Nesta capital, a marcha partirá da Praça Denfert-Rochereau e irá até a sede principal dos Correios.

Por sua vez, juízes e funcionários públicos do setor judicial reavivarão os protestos iniciados em fevereiro passado depois que o presidente Nicolás Sarkozy os responsabilizou por um crime relacionado com um reincidente libertado por prescrição.

Tais declarações provocaram a imediata ira do ramo judicial e de algumas divisões da polícia, que acusaram o presidente de escolhê-los como bodes expiatórios dos problemas atuais dos estupradores e pelas transgressões em geral.

Vindos de toda França, os manifestantes realizarão uma marcha da Praça Saint Michel até a sede da Assembleia Nacional em demanda de verdadeiras melhoras quanto a fundos e equipes à altura de outros países europeus.

Em uma entrevista a TF1, Christophe Régnard, da União Sindical de Magistrados, lamentou que nos dados oferecidos pelo governo, onde se mostra um aumento do orçamento de 30 a 40 por cento desde 2002, não se tenha informado a elevação dos contenciosos.

O servidor público mencionou que a carga de trabalho aumentou 66 por cento entre 2002 e 2010, o número de processos penais, 55 por cento, e o número de magistrados, menos de 20 por cento, com o qual é impossível contribuir respostas congruentes.

Leia aqui.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Revolução Líbia em fotos

Líbia invadida: CSP-Conlutas repudia intervenção militar e apoia luta de trabalhadores contra Kadafi

 
Forças de cinco países iniciam ataques militares à Líbia
Forças Armadas de de cinco países - Estados Unidos, França, Canadá, Itália e Reino Unido - deram início na manhã deste sábado (19) à invasão à Libia e aos ataques as forças ao ditador líbio Muhammar Kadafi.

Mísseis, navios de guerra, submarinos. Esse arsenal que entra na Líbia desrespeita a soberania do país e provavelmente matará inúmeros líbios sob a desculpa de garantir a democracia no país.

Leia abaixo nota da CSP-Conlutas contra os ataques estrangeiros à Libia:
Com uma força avassaladora, multidões tomaram as ruas em diversos países árabes para protestar contra seus governos. Na líbia os protestos vêm sofrendo uma sangrenta resposta do ditador Muhamar Kadafi. Esta situação está levando o país a uma guerra civil. Ataca os que estão armados e a população desarmada ao melhor estilo de Hitler. Apesar da brutal repressão, a insurreição continua até o momento.

Os países imperialistas (EUA e Europa), através da ONU, após ignorar por décadas a ditadura que lhe era conveniente e a opressão do povo líbio, iniciaram uma intervenção através do fechamento do espaço aéreo na Líbia. Esta ação tem um duplo objetivo: garantir que o resultado das mobilizações populares nos países árabes não escape do seu controle e a exploração direta dos recursos energéticos daquele país.

Os governos que têm utilizado de invasões e massacres em países como no Iraque, Afeganistão e Haiti não têm nenhuma autoridade ou credibilidade para falar em democracia e direitos humanos, com seus tanques e marines.

A CSP-Conlutas rechaça qualquer intervenção militar imperialista na Líbia. Apoiamos a luta revolucionária que do povo líbio contra o regime reacionário de Kadafi. Eles contam com o apoio do povo árabe que também está nas ruas lutando por transformações em seus países e pelo fim das ditaduras e da opressão imperialista que causam somente miséria e destruição.

Todo apoio à luta dos trabalhadores e da juventude líbia. Fora Kadafi. Não à intervenção imperialista!
 
 _________
O portal Totally Cool Pix está com uma coleção de fotos de alta qualidade das manifestações e enfrentamentos no Egito. Veja aqui.














Vote Chapa 3 - Resistência e Luta no SINTECT/DF

Portugal: Trabalhadores dos Correios protestam contra congelamento de salários e redução de subsídios

Trabalhadores dos CTT na rua contra congelamento de salários e redução de subsídios

Cerca de meia centena de trabalhadores dos CTT estiveram hoje concentrados frente ao Ministério das Finanças e do Ministério das Obras Públicas, que tutela a empresa, para contestar o congelamento de salários e o fim do subsídio familiar.

Empunhando cartazes onde se pode ler “CTT privatização não” e bandeiras com a frase “CTT em luta”, os cerca de 50 trabalhadores e elementos do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT) afirmam que os correios nunca contribuiriam para o défice do Estado português, lembrando que a empresa sempre deu lucros e permitiu a distribuição de dividendos ao Estado.

“Os trabalhadores dos CTT têm os seus ordenados congelados há dois anos ao que acresceu este ano a redução dos seus subsídios e abonos. Hoje, vamos dizer, se calhar pela última vez a este Governo, que os trabalhadores dos CTT não têm nada a ver com a administração pública. Esta é uma empresa lucrativa que contribui para o Orçamento do Estado”, disse Vítor Narciso, secretário-geral do sindicato.

Também Eduardo Rita, sindicalista e trabalhador dos correios, fala “do sentimento de injustiça” de que partilham funcionários dos correios, frisando que estes são os que têm sido mais prejudicados no sector empresarial do Estado.

“O Estado não mete dinheiro nos CTT, o que se passa é o contrário. Os CTT é que entregam todos os anos os lucros que têm”, afirmou.

Paulo Silva, 41 anos, presente na manifestação, é um dos trabalhadores que, de repente, se viu com 900 euros para sustentar três filhos e uma mulher desempregada.

“Este mês recebi 900 euros para sustentar três filhos e, não sei porquê, o abono que recebia de 400 euros, porque tenho um filho portador de deficiência, passou para 116 euros”, afirmou Paulo Silva, acrescentando ter já pedido explicações à Segurança Social, sem ter tido ainda resposta.

Numa carta, que entregou no Ministério das Finanças, onde apenas foram recebidos pela recepcionista, o sindicato diz que “os CTT entregaram, só nos últimos anos, mais de 120 milhões de euros” em dividendos ao Estado, e que, nos dos dois últimos anos, os trabalhadores das empresas perderam oito por cento do poder de compra.

À chegada ao Ministério das Obras Públicas, os trabalhadores manifestaram-se contra o ministério que tutela a empresa, num ambiente onde se destacava uma senhora sem-abrigo com cerca de 61 anos, que fez do Largo do Correio Mor, frente ao ministério, a sua casa desde há quatro meses.

Na rua, rodeada de vários cobertores, um tapete, um colchão, restos de alimentos, um penico e um pacote de bolachas, uma sem-abrigo assistia à manifestação, comendo uma laranja.

Ao ministério da tutela, os trabalhadores dos CTT criticam a degradação do serviço público, o encerramento de diversas estações de correio, a não-distribuição diária e a privatização dos CTT.

Leia aqui.

CGU conclui que Erenice Guerra cometeu diversas irregularidades graves

Erenice Guerra cai na malha da CGU

Controladoria conclui que ex-ministra da Casa Civil cometeu diversas irregularidades graves


A Controladoria-Geral da União (CGU) concluiu que a ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra cometeu irregularidades graves quando esteve à frente da pasta, no ano passado. A sucessora da presidente Dilma Rousseff na Casa Civil é acusada de tráfico de influência e de ter beneficiado parentes em contratações de serviços aéreos para os Correios, estudos para projetos de mobilidade urbana e outorgas de concessão de serviço móvel especializado. O relatório da CGU foi enviado ontem à Polícia Federal, ao Ministério Público e à Comissão de Ética Pública da Presidência da República. O relatório vai servir como subsídio às investigações de natureza criminal e ética contra a ex-ministra.

As investigações referem-se ao conjunto de denúncias veiculadas na imprensa no segundo semestre do ano passado envolvendo Erenice Guerra e parentes dela. Erenice assumiu a Casa Civil quando Dilma Rousseff saiu da pasta para disputar as eleições presidenciais. Ela era considerada braço direito da presidente Dilma Rousseff quando esta era ministra de Minas e Energia e, em seguida, chefe da Casa Civil do governo de Luiz Inácio Lula da Silva. Durante a campanha eleitoral da petista à Presidência da República, o caso foi largamente explorado pelos partidos de oposição ao então presidente Lula.

O foco das apurações da CGU foram as irregularidades administrativas e financeiras. Somente em referência aos contratos firmados entre os Correios e a empresa MTA para a prestação de serviços de transporte de carga por meio da Rede Postal Aérea Noturna, a CGU analisou quatro contratos celebrados em 2010, alguns decorrentes de pregões eletrônicos e outros dispensados de licitação, com valor total de R$ 59,8 milhões. A MTA está no centro do episódio que envolve um dos filhos de Erenice, Israel, em tráfico de influência e cobrança de propina para ajudar a empresa dentro do governo.

"Diante das constatações, a CGU recomendou à ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos), entre outras medidas, a instauração de procedimentos apuratórios para identificaros causadores dos danos, promover as respectivas responsabilizações e quantificar valores das multas a serem aplicadas, bem como valores pagos a mais pela ECT à MTA, para efeito de cobrança de ressarcimento ao Erário", diz o relatório.

Leia aqui e aqui.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Relatório do XIII CONSIN

1- XIII CONSIN
No XIII CONSIN, realizado nos dias 16 e 17 último, os governistas reavaliaram sua posição e já estão admitindo que as mudanças do Estatuto da empresa vão trazer prejuízos para a categoria, apesar de continuarem dizendo que as mudanças propostas não são a continuidade do processo de privatização.

Segundo eles com as mudanças a empresa vai continuar sendo publica e deixam claro que são a favor das mudanças e avaliam que é um avanço a cadeira no conselho administrativo, criação de agencia da empresa fora do pais, criação de empresa aeria e de um banco postal próprio. Já no segundo ponto do CONSIN que eles tinham como objetivo aprovar uma contra proposta de PLR para ser apresentado já no dia  seguinte18/03,  também não conseguiram. E neste ponto eles ficaram bastante irritados e com cara de derrotados.

No ponto do estatuto ficou claro que eles querem ganhar tempo para que este seja aprovado. Como o presidente da empresa já falou que as mudanças vão ser através de decreto presidencial, eles precisam ganhar tempo para que não atrapalhe nem o governo e nem as disputas pelos os cargos que eles estão fazendo dentro da empresa. Isso ficou claro quando nós propusemos para o plenário que deveríamos aproveitar que estavam em Brasília os 33 sindicatos e a direção da FENTECT  para fazer um ato no  Ministério da Casa Civil no dia 17/03 contra a Mudança do Estatuto, já que o mesmo sé encontra lá para ser aprovado. Com 18 votos a favor de realizar o protesto e 22 contra, a proposta não foi aprovada, pois os governistas entraram em desespero ao ponto de juntar até as alas da CTB que estão rachadas devido a eleição do Sindicato de Brasília onde inscreveram 2 chapas da CTB para impedir o ato.


2-PLR
No dia 18/03 foi realizado  mais uma reunião entre a comissão da empresa e da FENTECT. Na reunião a comissão da FENTECT informou  à comissão da ECT sobre a deliberação que os delegados e delegadas no  XIII CONSIN votaram.

Os Delegados foram contra tirar nova proposta no CONSIN: A posição dos delegados do XIII CONSIN, foi de não deliberar por apresentar nova proposta de PLR para a ECT. Com um debate bastante radicalizado  os dirigentes dos sindicatos  ratificaram a proposta de 2 mil linear e bateram duro na proposta da empresa principalmente sob critério e valores. Não deixaram os pelegos da federação apresentar nem uma contra proposta para ser apresentado  na reunião do dia 18/03. O que criou mais uma vez um tumulto ao final do CONSIN.

Também foi informado para a empresa que os delegados deliberaram por um calendário de luta que começa dia 21/03 e termina dia 26/04 com assembléia para votar greve por tempo indeterminado.

Neste marco avaliamos que foi positivo o que foi aprovado, pois confirmou-se a manutenção da proposta inicial de 2 mil reais linear e sem critérios e também a aprovação de um calendário de luta que aponta greve por tempo indeterminado para o dia 26/04/2011. Após serem derrotados na manobra que tentaram fazer na reunião do dia 18/03, os governistas se comportaram bem na mesa de negociação. Mas ficou claro que vão construir nos bastidores uma contra-proposta que deve ser apresentarda na próxima reunião dia 22/03/2011.

Já a comissão da empresa tentou passar que estava decepcionada por não ter uma nova proposta da comissão da FENTECT para ser apresentando para a empresa. Em tom de ameaças  disseram que eles tem limites e que não podem garantir que a empresa não pague PLR unilateral. Apesar de defender o fechamento do acordo entre a comissão da empresa e FENTECT.



3-Calendário de luta aprovado no XIII CONSIN
Sobre o calendário, foi aprovado o seguinte no XIII CONSIN: 
  • Entre os dias 21-03 a 08-04: Mobilização nas bases; 
  • Dia 11-04 (segunda-feira): Envio de caravanas à Brasília: 
  • Dia 12-04 (terça-feira) – Ato em frente ao prédio da ECT;
  • Dia 13-04 (quarta-feira) – Ato em frente ao MINICOM (Ministério das Comunicações); 
  • Dia 14-04 (quinta-feira) – Ato em frente à Casa Civil;
  • Dia 19-04 (terça-feira): Assembléias para votar o Estado de Greve;
  • Dia 26-04 (terça-feira): Assembléias para votar a Greve por Tempo Indeterminado
Eixos de campanha: Não a mudança do Estatuto – Concurso Público – PLR Linear Melhores Condições de Trabalho

Geraldinho

Mais um CDD entra em greve por Concurso Público

Carteiros de Bangu decidem entrar em greve por melhores condições de trabalho
Eles argumentam que zona oeste cresceu e efetivo dos Correios foi reduzido

Cerca de 50 carteiros do Centro de Distribuição Domiciliar de Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro, decidir entrar em greve na manhã desta segunda-feira (21) para reivindicar a contratação de mais profissionais e melhores condições de trabalho. 

Segundo o sindicato que representa a categoria, mais de 1.500 trabalhadores foram desligados dos Correios por meio do programa de demissão voluntária.

Eles também argumentam que as novas contratações não acompanham o crescimento da população da zona oeste.

Além disso, os carteiros de Bangu denunciam más condições de trabalho.

O sindicato estima que seria necessária a contratação de cerca de 2 mil carteiros.

Leia aqui.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Ministério Público convoca Correios para explicar motivo da demora na entrega de correspondências

Dois funcionários dos Correios estiveram essa manhã no Ministério Público Federal

Desde o início ano, nós mostramos reclamações de moradores da região sobre os Correios. Em diversas cidades, as correspondências estão sendo entregues com atraso. Hoje, representantes da companhia foram ouvidos pelo Ministério Público em São José dos Campos, e admitiram que o número de funcionários é insuficiente.

Dois funcionários dos Correios estiveram essa manhã no Ministério Público Federal para prestar esclarecimentos. Eles não quiseram gravar entrevista. A companhia é alvo de um inquérito, que investiga o atraso na entrega de correspondências em São José dos Campos.

O motivo, segundo a empresa, seria a falta de funcionários. "Eles deveriam ter 150 funcionários e hoje estão com 70", explica André Piccolo, defensor público federal.

Os funcionários dos Correios admitiram que a situação mais crítica é na região sul de São José dos Campos. 34% da correspondência que deveria ser entregue por dia não chega à casa do morador e se acumula.

O aceitável seria uma sobra de até 3%. Os Correios terão que apresentar semanalmente ao Ministério Público esses índices de entrega. Quem tem conta para pagar tem que retirá-la no Centro de Distribuição do Jardim Satélite.




Leia aqui.




sábado, 19 de março de 2011

Veja a lista dos presos políticos do ato contra Obama

Depois de passar a madrugada na 5º DP (Gomes Freire), os 13 detidos nesta sexta-feira, 18, no protesto contra o presidente Barack Obama dos EUA, foram levados para presídios por volta das 8h de hoje. Após exame de corpo-delito no IML, os homens foram encaminhados ao presídio de Bangu 8 e as mulheres ao presídio de Água Santa.

Os manifestantes foram enquadrados em vários artigos, e não terão direito a fiança. A principal acusação é de ter tentado "causar incêndio" no consulado dos Estados Unidos. "É uma vergonha o que está acontecendo. É uma prisão política. São presos políticos do governo Sergio Cabral e de Dilma, no momento em que Obama desembarca no Brasil", protestou o integrante da coordenação nacional da CSP-Conlutas, Cyro Garcia.

Dos presos, há dirigentes da CSP-Conlutas, entre eles o dirigente da Secretaria Executiva Estadual do Rio Gualberto Tinoco.

Os 13 manifestantes foram presos após um coquetel molotov ter sido lançado no ato em frente ao consulado na noite de ontem.

Inúmeras iniciativas estão sendo tomadas pela liberatação dos presos no protesto contra Obama no Rio de Janeiro.

São 13 os presos políticos no ato desta sexta-feira. Destes 10 são militantes do PSTU. Os homens foram levados ao presídio de Àgua Santa e as mulheres para o de Bangu 8. Saiba mais sobre a prisão

Leia a lista dos presos:
Gilberto Silva - eletricista

Rafael Rossi - professor de estado, dirigente sindical do SEPE

Pâmela Rossi - professora do estado

Thiago Loureiro - estudante de Direito da UFRJ, funcionário do Sindjustiça

Yuri Proença da Costa - funcionário dos Correios

Gualberto Tinoco "Pitéu" - servidor do estado e dirigente sindical do SEPE

Gabriela Proença da Costa - estudante de Artes da UERJ

Gabriel de Melo Souza Paulo - estudante de Letras da UFRJ, DCE-UFRJ

José Eduardo Braunschweiger - advogado

Andriev Martins Santos - estudante da UFF

João Paulo - estudante Colégio Pedro II

Vagner Vasconcelos - Movimento MV Brasil

Maria de Lurdes Pereira da Silva - doméstica






Manifestantes promovem “sapatada” contra Obama no Rio




Protesto no centro carioca levou 500 pessoas da Candelária até a sede do consulado norte-americano, onde houve confronto com a polícia. Com faixas e cânticos contra o presidente norte-americano Barack Obama, os manifestantes criticaram o interesse estrangeiro no petróleo do pré-sal e o pronunciamento público que o mandatário fará no domingo. Reportagem de Rodrigo Bertolotto e Yuri Catelli. Confira também video com mensagens para Barack Obama em “ingles carioquês" e os ódios e os amores em relação aos EUA.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Charges da visita de Obama ao Brasil

Carlos Latuff


Veja mais em http://twitpic.com/photos/CarlosLatuff

Veja a faixa da CSP-Conlutas: http://twitpic.com/4at82x/full

Prisões, gás lacrimogêneo e cassetetes: repressão ao protesto no Rio contra Obama

Repúdio
Prisões, gás lacrimogêneo e cassetetes: repressão ao protesto no Rio contra Obama

 
Brutal violência - Cerca de 600 manifestantes de diversas entidades do movimento sindical e popular e de partidos de esquerda sofreram forte repressão na passeata que ocorreu hoje no final da tarde, no Rio de Janeiro, contra a vinda ao Brasil do presidente dos Estados Unidos Barak Obama.

Bombas de gás lacrimogêneo foram jogadas, manifestantes apanharam de cassetetes e pode ultrapassar a 15 o número de presos. Não se sabe o número de pessoas que ficaram feridas. A manifestação transcorria tranqüila, quando, já no encerramento, em frente ao consulado americano começaram as ações repressivas.

Muitos dos manifestantes estão presos na 5ª DP, na Gomes Freire, no centro do Rio.

Os protestos continuarão.

Com a votação no conselho de segurança da ONU, na quinta-feira (17), os países imperialistas através da zona de exclusão aérea na Líbia, começam a  intervenção militar no país. Ao mesmo tempo o presidente do EUA é recebido com todas as honras pela presidente Dilma. A CSP-Conlutas chama a todas as organizações democráticas e populares a repudiarem a vista de Obama e participarem das manifestações contra a intervenção imperialista na Líbia, apoiando a luta revolucionária daquele povo para acabar com o regime de Kadafi. Confira a nota da CSP-Conlutas condenando a intervenção. 

A CSP-Conlutas RJ e SP realizam atos nos dias 18 e 20 de fevereiro contra visita do presidente dos Estados Unidos Barack Obama ao Brasil
Obama chega ao Brasil na manhã do dia 19, sábado. Vai direto para Brasília para uma reunião fechada com a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto.

O presidente chega aqui em um momento em que o Brasil amarga um déficit de US$ 8 bilhões em sua balança comercial com os Estados Unidos, disposto a promover novos negócios e a fomentar ainda mais as exportações americanas.
O governo americano, que em casa luta para acelerar o ritmo da recuperação econômica pós-crise e baixar a taxa de desemprego, atualmente em 9%, já avisou que pretende ampliar o comércio com a América Latina e, em especial, com o Brasil. Na realidade é a retomada da ALCA, desta vez com o nome de TECA (Tratado de Cooperação Econômica e Comercial).

Pior ainda é a intenção explícita do governo norte-americano de colocar suas mãos no pré-sal brasileiro. Em matéria do próprio Estadão (17/03) o título é “Obama chega de olho em potencial energético do Brasil para suprir demanda dos EUA”.

Os protestos vão denunciar as intenções do governo Obama e a disposição do governo Dilma em aceitar tais negociações.
Mas, também vamos denunciar a tentativa dos EUA de intervenção na Líbia.

Estamos contra qualquer intervenção militar imperialista, que sustenta diretamente as ditaduras nos países árabes e ao mesmo tempo estamos juntos com o povo Líbio em armas para derrotar o ditador Muhamar Kadhafi.
Os manifestantes de diversas organizações também vão protestar contra o governo brasileiro que dirige a ocupação militar do Haiti, fazendo o papel sujo para os EUA, bem como a manobra de Obama, que pretende buscar fôlego político para intervir militarmente contra a Revolução Árabe no Oriente Médio, especialmente na Líbia.

Em nota o Movimento Raça e Classe denúncia que a vinda de Obama ao Brasil tem o objetivo de entregar as riquezas brasileiras, vender aviões militares e equipamentos para a Copa e as Olimpíadas. Obama quer garantir a agilidade no plano de governo de Dilma, para melhor intensificar a entrega do país a política de ajuste neoliberal como a Reforma da Previdência e Trabalhista, facilitando as empresas a lucrarem mais com o calote a Previdência Social. 

O presidente é negro, mas a casa continua branca - Segundo Quilombo Raça e Classe, Obama não cumpriu suas promessas de campanha e continua com a política de Bush.

Os EUA continuam com a ocupação nefasta do Haiti, Afeganistão e Iraque. O governo persegue os imigrantes árabes e muçulmanos pobres, criou inclusive, leis para restringir imigrantes e não garantiu nenhuma mudança estrutural e social.

Obama não apoiou o povo Palestino na construção de um estado laico e democrático, preferiu o governo de Israel que massacra os palestinos.

A nota do movimento denúncia também que “o governo brasileiro do PT e PMDB identifica-se com os republicanos, que contribuirão para garantir para o Brasil um acento permanente na cadeira de segurança da ONU, em troca da fome e miséria do povo brasileiro, pobre e de maioria negra”.

A CSP-Conlutas convoca a todos os brasileiros a repudiarem Obama “fantoche do imperialismo e da burguesia norte americana, que governa para os ricos e não para o povo”.

ATO PÚBLICO EM SÃO PAULO
DATA: 18/03
HORÁRIO: 17h
LOCAL: PRAÇA DO CICLISTA (Esquina da Av. Paulista com a Consolação)

ATOS PÚBLICOS NO RIO DE JANEIRO
DATA: 18
HORÁRIO: 16H
LOCAL: CANDELÁRIA
Para o protesto de domingo ainda está para ser divulgado local e hora. Mais informações sobre o ato acesse: http://cspconlutasrj.wordpress.com/internacional/barack-obama-no-brasil/



Manifesto Chapa 3 - Mudança Positiva-MP

quinta-feira, 17 de março de 2011

Boletim Oposição SINTECT/SP

Licitação de franquias dos Correios fica para 2012

Relator prorroga até 2012 prazo dos Correios para licitar franquias

O deputado Ricardo Berzoini (PT-SP) terminou de apresentar seu relatório à Medida Provisória 509/10, que prorroga até 11 de junho de 2011 o prazo para a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) contratar franquias de seus serviços por meio de licitação.

O relator incorporou ao texto duas emendas. Uma delas, do deputado Edson Santos (PT-RJ), ganhou nova redação e aumenta o prazo da prorrogação para 30 de setembro de 2012. Santos propunha 14 de outubro de 2012.

A segunda emenda incluída por Berzoini, da deputada Rose de Freitas (PMDB-ES), concede prazo de um ano para que as novas agências franqueadas dos Correios se adequem às padronizações definidas pela ECT por meio de suas guias e normas técnicas.
Reportagem – Eduardo Piovesan
Edição – Marcos Rossi
Leia aqui

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara de Notícias'


Licitação de franquias dos Correios fica para 2012

BRASÍLIA - A licitação de franquias dos Correios que hoje estão em situação irregular foi prorrogada para 30 de setembro de 2012. A decisão foi apresentada pelo deputado Ricardo Berzoini (PT-SP), no plenário da Câmara. Berzoini apresentou um relatório com duas emendas à Medida Provisória 509/10, que no ano passado prorrogou até 11 de junho de 2011 o prazo para que os Correios formalizassem a situação das franquias.

De acordo com o governo, existem 1.424 pontos de franquias postais no país, mas apenas 227 tiveram os processos de licitação completamente concluídos, com contratos já assinados. Em outubro do ano passado, quando a licitação da rede foi adiada, a Associação Brasileira de Franquias Postais (Abrapost) declarou que a decisão do governo evitou o “colapso postal” no fim de ano.
(André Borges | Valor)

Leia mais aqui.

Funcionários dos Correios de Paulínia estão em greve por melhores condições de trabalho

Os funcionários dos correios de Paulínia iniciaram uma paralisação na manhã desta quarta-feira (16). E o surpreendente é que não estão reivindicando aumento de salários ou redução de jornada trabalho, e sim condições de trabalho.

De acordo com Hernandes Alves, que é funcionário na unidade de Paulínia e também diretor do sindicato na região, a paralisação é em respeito à população de Paulínia, que não vem recebendo suas correspondências em dia.

A exigência dos funcionários é que o efetivo, que hoje conta com 23 carteiros para atender toda cidade, seja aumentado no mínimo em 12 pessoas, que seria o mínimo para atender a cidade.

Para se ter uma idéia, regiões da cidade que comportariam 3 carteiros para atender a demanda, trabalham hoje com apenas 1 carteiro. E o pior é que em outros bairros não existe sequer um, então um único funcionário tem que ficar se revezando entre bairros para tentar diminuir os atrasos.

Varios fatores vem contribuindo para os atrasos. Um deles é  o crescimento da cidade, que aumentou em muito o número de correspondências. Mas esse não é o único problema, há dois meses os correios passaram a fazer a entrega das contas de água, que gerou mais uma vez um enorme aumento no número de correspondências. Outro fator é que diversos funcionários deixaram os correios, por não agüentaram o ritmo do trabalho devido a escassez de funcionários. Há mais de 3 anos esse efetivo que já é pequeno vem apenas diminuindo, e nunca as vagas são repostas.

Os carteiros informaram à nossa reportagem que sentem até medo de realizarem as entregas, pois estão sofrendo ameaças nas ruas, e até passando por discriminação, sendo chamados de vagabundos, como se o problema nos atraso fosse deles.

Hernandes explicou também que uma correspondência que chega à distribuição deve ser entregue no mesmo dia, mas que no momento os atrasos podem passar  por vários dias, devido a situação.

Os funcionários informaram que só voltarão ao trabalho assim que a gerência regional, que prometeu comparecer ainda hoje em Paulínia, passar uma posição a respeito do assunto, ou mesmo um planejamento para diminuir essa defasagem.

“Não queremos aumento de salário, só queremos entregar as cartas, fazer nosso trabalho e ir pra casa em paz, sem medo, sem ameaça e com a satisfação de dever realizado”. Essas foram as palavras que todos os carteiros falaram durante a entrevista.

Leia aqui.

Atos contra Obama: Sexta-feira e Domingo

Participe
CSP-Conlutas RJ fará atos nos dias 18 e 20/03 contra presença de Obama no Brasil


Reunião para organização dos respectivos atos será nesta quarta-feira (16) às 18h, na sede do Sindipetro-RJ Av. Passos, 34.

A CSP-Conlutas (Central Sindical e Popular) realizou reunião ampliada e aberta de sua executiva onde além da presença de entidades, movimentos e oposições filiados, contou com a presença de ativistas, dirigentes e outros movimentos, conforme lista ao final.

Por unanimidade a reunião decidiu pela realização de dois atos de protesto, (sexta-feira - concentração às 16h na Candelária e domingo) contra a presença do chefe do Império do Norte, o presidente dos EUA Barack Obama, de acordo aos eixos elencados a seguir para a realização de uma plenária unitária.

A reunião definiu, também por unanimidade, construir unitariamente uma plenária de mobilização (quarta-feira, 16/03, às 18h, na sede do Sindipetro-RJ Av. Passos, 34), para tentar a ampliação dos referidos atos, com todas as entidades, movimentos, oposições ativistas, e partidos que estejam de acordo com os seguintes eixos políticos e palavras de ordem para realização dos atos e da plenária. 


O presidente é negro, mas a casa é branca! 
  • Denunciar que o governo Dilma pretende assinar com o governo de Barack Obama acordos para uma maior entrega do petróleo brasileiro em especial do Pré-Sal.
  • Denunciar que o governo Dilma e o governo Obama pretendem assinar um TECA (Tratado de Cooperação Econômica e Comercial) retomando assim a derrotada política da ALCA (Área de Livre Comércio das Américas). 
  • Denunciar que o governo brasileiro dirige a ocupação militar do Haiti, fazendo o papel sujo para os EUA. 
  • Explicar que Obama pretende buscar fôlego político para intervir militarmente contra a Revolução Árabe no Oriente Médio, especialmente na Líbia. 
  • Nem Obama nem Kadafi, Viva a Revolução na Líbia.
  • Viva a revolução árabe, fora as tropas imperialistas do Iraque e Afeganistão.
  • Fora as tropas brasileiras, norte americanas e a Minustah do Haiti.
  • Liberdade imediata para Múmia Abul Jamal.
  • Não aos acordos comerciais com os EUA que entregam as riquezas nacionais e escancaram o país para o saque imperialista.
  • Não ao Plano Colômbia. 
  • O Petróleo tem que ser nosso, não à entrega do Pré-Sal.

Presentes à reunião ampliada e aberta da Executiva das CSP-Conlutas:
ADUR-RJ
ANDES.SN (Reg.RJ)
ANEL – Assembléia Nacional dos Estudantes Livre
ANP (Agencia de Notícias Petroleira)
AQUALTUNE
CEDINE/Étnicas Raízes
DCE – UFRJ
Executiva Estadual da CSP-Conlutas
Jubileu Sul
MML – Movimento Mulheres em Luta
MNU – RJ
Moner
Movimento Nacional QUILOMBO RAÇA e CLASSE
MTL – Movimento Terra Trabalho e Liberdade
Oposição de Correios RJ
PSOL
PSTU
SEPE – RJ
Sind. Comerciários N. Iguaçu e Região
Sindpfaetec
Sindipetro RJ
Sindsprev – RJ
Sinsafispro

quarta-feira, 16 de março de 2011

Portugal: Serviço universal custa 470 milhões de euros aos CTT


A prestação do serviço universal de correio custou aos CTT, em 2009, cerca de 470 milhões de euros, segundo os dados mais recentes disponíveis na empresa.

Os CTT são responsáveis pela prestação do serviço universal, apesar do compromisso de liberalização do mercado, que deveria ter entrado em vigor a 1 de Janeiro deste ano mas que está atrasado.

A este respeito, Pedro Coelho, vice-presidente dos CTT actualmente à frente da empresa devido à saída de Estanislau da Mata Costa, disse aos jornalistas que "a liberalização é um problema do Governo mas é evidente que está atrasada. Interessa-nos saber como é que a lei sai porque há diferentes modelos para quem quer entrar".

Pedro Coelho defendeu que a lei deverá exigir "as mesmas condições para todos" os operadores.

No que toca a resultados, a empresa ainda não fechou os números mas garantiu que o dividendo estará na ordem do distribuído o ano passado. Recorde-se que, em 2010, os CTT distribuíram ao Estado um dividendo de 21,3 milhões de euros, referente ao exercício de 2009.

Leia aqui.

Portugal: Corte de despesas continua!

CTT poupam 1,2 milhões com corte de 124 carros
A empresa vai cortar no número de carros de uso pessoal e serviços, mas não mexe na frota.

Pedro Coelho
Os CTT estimam poupar 1,2 milhões de euros com a redução no número de carros pessoais e de serviços gerais em 2011. Em causa está a não renovação dos contratos de aluguer que forem terminando durante este ano.

"Estamos a cortar em 84 veículos de uso pessoal, o que representa uma redução de 20%", explica Pedro Coelho, vice-presidente dos CTT e actual responsável da empresa desde a saída de Estanislau da Mata Costa. "Até ao final do ano esperamos cortar cerca de 100 carros nas viaturas de serviço geral", o que representa uma redução de 15% a 20% do total de carros, acrescentou. A poupança atingirá, assim, este ano 1,2 milhões de euros, tendo em conta as rendas e alugueres não renovados, custos com reparação e conservação, portagens e combustíveis.

Os Correios propuseram uma redução dos custos operacionais na ordem dos 8%, uma vez que só podem ter como contribuição a redução de 5% da massa salarial e o Fornecimento de Serviço Externo (FSE). O valor proposto fica muito abaixo dos 15% exigidos pelo Ministério das Finanças que, segundo Pedro Coelho, ainda não aprovou o plano apresentado. "Estamos a fazer o que podemos, não esperámos resposta", sublinhou o gestor.

 
Leia aqui e aqui.

Relator pode ampliar mais o prazo para licitação de franquias postais

A prorrogação do prazo para os Correios concluírem as licitações de suas franquias é um dos primeiros itens da pauta da Câmara nesta semana. A MP 509/10 prorrogou de 7 de novembro de 2010 para 11 de junho de 2011 o prazo de conclusão das licitações. Ao editar a MP, o governo argumentou que não conseguiu cumprir o prazo para licitar as franquias por causa de ações judiciais.

O relator da MP, deputado Ricardo Berzoini (PT-SP), não descarta a possibilidade de ampliar ainda mais o prazo estabelecido pela MP para a conclusão das licitações. "A nossa preocupação agora é dialogar com o governo. Estou fazendo isso, para ver se o prazo é esse mesmo ou se há necessidade de mais tempo para a conclusão do processo com total eficiência e respeito ao interesse público", disse.

Segundo o deputado Edson Santos (PT-RJ), o prazo deveria ser estendido para 14 de outubro de 2012. Santos apresentou uma emenda à MP propondo a nova data. "Essa demanda foi apresentada pelo movimento dos franqueados. É preciso verificar com a Casa Civil e o Ministério das Comunicações a viabilidade da extensão desse prazo, que eu considero boa para o governo, por garantir mais tempo para preparar todo o processo de licitação", afirmou.

Histórico
A Lei 11.668, de 2008, deu dois anos de prazo para os Correios promoverem licitação para todos os pontos de franquia, substituindo os contratos em vigor, feitos sem licitação. Ao final do prazo (7 de novembro), apenas 227 processos de licitação haviam sido concluídos e 504 estavam em andamento. Os demais (519) estavam suspensos por decisão judicial, conforme a mensagem do governo que acompanha a MP.

Enquanto não forem concluídas as licitações, ficarão valendo os contratos anteriores à lei. A MP precisa ser votada pelos deputados e senadores até o próximo dia 23, ou perderá a eficácia.

Íntegra da proposta: 

Reportagem – Ana Raquel Macedo /Rádio Câmara
Edição – Wilson Silveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara de Notícias'